Médico sanitarista, maior industrial sul-americano de seu tempo e fundador do setor farmacêutico no Brasil.

Iniciando a vida no Rio de Janeiro, fundou a Leiteria Bol, a mais famosa do país em sua época, que se destacava pelas rigorosíssimas condições de higiene, imitadas pelas congêneres, e a introdução da pasteurização. Foi, assim, o precursor da higienização do leite na capital carioca.

Em 19 de novembro de 1921, visando a independência da indústria farmacêutica nacional, fundou os Laboratórios Raul Leite, primeiro laboratório farmacêutico do Brasil e maior organização químico-biológica da América do Sul. Com depósitos e filiais nos cinco continentes, tinha um profundo sentido nacionalista, com consumo preferencial de matéria-prima para aproveitamento de recursos inexplorados, produtos especiais de baixo custo para combater as grandes doenças e endemias do Brasil entre as classes pobres, distribuição de medicamentos, fornecimento de sementes selecionadas aos agricultores, fundação de doze escolas de alfabetização e ampla campanha cultural para preferência dos produtos nacionais. Raul Leite instituiu prêmios anuais, em dinheiro, aos melhores alunos das faculdades de medicina. Sua mão-de-obra tinha um tratamento social único no país. Os Laboratórios contavam com caixa beneficente, mais de 30 bibliotecas internas, time de futebol e setor de alfabetização operária, e ofereciam seguro de vida, assistência médica, medicamentosa e dentária gratuitas, hospitalização dos adoecidos e alimentação especial aos operários com déficit de peso.

Na Ação Integralista Brasileira, era um dos principais financiadores e membro da Câmara dos 40.

Maior líder de sua classe, era ao mesmo tempo diretor do Sindicato Médico Brasileiro, presidente do Sindicato dos Industriais de Produtos Farmacêuticos, presidente da Federação Industrial do Rio de Janeiro e diretor da Sociedade de Medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro.

LEIA TAMBÉM  Padre Ponciano dos Santos

Mais informações

Nasceu em Matos de Passa Tempo, então termo da Vila de Oliveira, Comarca de São João Del Rei, em Minas Gerais, em 12 de agosto de 1886.

Desde cedo, não gostava de usar roupas e produtos importados. Dizia sempre: “em nosso país temos coisas iguais ou melhores e, se não temos, basta fabricá-las”. Formou-se inicialmente em Farmácia e, completando o curso, em Medicina, pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, em 1912.

Do seu primeiro casamento, com Mathilde de Rezende Ribeiro, que faleceu, teve três filhos: Nelly Rezende, Elza Falcão e Raul Fernandino Leite. Contraindo segundas núpcias com Margarida de Castro, teve Larry e Laila.

Preso pelo Estado Novo na madrugada de 13 de maio de 1938, foi absolvido e solto no dia 29. Ainda na prisão, ficou enfermo, precisando ser transferido para o Hospital Militar. Faleceu de problemas cardíacos na Bahia, em 29 de janeiro de 1939. Sua família acredita que a morte deva-se aos sofrimentos enfrentados na prisão.

Os Laboratórios Raul Leite foram dissolvidos em disputas de herança entre os filhos, até terem sua falência decretada em 1957.

Referências biográficas

A GAZETA. Alguns traços marcantes da organização Raul Leite. Florianópolis, 26 de junho de 1938.

LLOYD, Reginald. Impressões do Brasil no século vinte. Londres: Lloyd’s Greater Britain Publishing Company, 1913.