Precisamos de sua ajuda para manter nossas atividades.
Atualmente, além das inúmeras despesas fixas, são também centenas de metas, projetos e desafios a conquistar que dependem de sua colaboração direta. Escolha abaixo como pode nos ajudar:

Ação voluntária

Atue junto aos núcleos, participe de cursos, panfletagens, manifestações e divulgue a doutrina para outras pessoas.
Ação voluntária
OU

Contribuição financeira

Ajude a manter nossos projetos. Para colaborações financeiras, escolha aqui a opção mais adequada a você: boleto ou depósito.
Colabore



Pedro Baptista de Carvalho

Escritor e articulista. Bacharel em Direito pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e advogado. Mestre em Direito Civil, na área História do Direito, pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Presidente da Frente Integralista Brasileira e 1º Vice-Presidente da Casa de Plínio Salgado.


A visita do grande escritor brasileiro Plínio Salgado ao Estado da Bahia

A mais recente edição do jornal O Lince, de Aparecida-SP, publicou o cordel A visita do grande escritor Plínio Salgado ao Estado da Bahia, de autoria do célebre poeta e cordelista Laurindo Gomes Maciel,[1] que foi, até o fim de seus dias, adepto da Doutrina, essencialmente cristã e brasileira, do Integralismo. O referido cordel, que a seguir transcrevemos e que foi originalmente publicado em 1949, pela Gráfica Milano, de Ibicaraí-BA, foi enviado ao aludido jornal pelo escritor e cordelista Marco Haurélio.

 

A visita do grande escritor brasileiro Plínio Salgado ao Estado da Bahia

 

Populistas brasileiros

Agora vamos avante

A voz de Plínio Salgado

Nos despertou neste instante

Salvemos nossa doutrina

A luz que mais ilumina

É a que vai adiante.

 

Foi a vinte e dois de Março

Que o Senhor Plínio Salgado

Pisou no solo Baiano

Muito bem acompanhado

Coberto de garantia

Veio visitar a Bahia

Por Jesus Cristo mandado.

 

Foi muito bem recebido

Por todo povo Baiano

Visitou muitas Cidades

Doutrinando o povo humano

Analisou com estudos

Maragogipe e Canudos

Feira, Serrinha e Tucano.

 

O Senhor Plínio Salgado

Eu honradamente o louvo

Por ele andar no Sertão

Doutrinando aquele povo

Com as suas pregações

Foi a Conquista e Poções

Jequié e Rio Novo.

 

Foi muito bem recebido

Naquela bela cidade

Teve manifestações

De toda sociedade

Notou grandes movimentos

Lá encontrou oitocentos

Companheiros de verdade.

 

De Rio Novo ele veio

A Tesoura e Pirangi

Por chegar ao meio dia

O almoço foi aí

O Senhor Plínio Salgado

Foi bem homenageado

Pelo pessoal dali.

 

Foi um assombro a chegada

Do Senhor Plínio Salgado

Na cidade de Itabuna

O povo entusiasmado

Com palmas, foguetes e viva

Ele e toda comitiva

Com honra foi abraçado.

 

Veio gente visitá-lo

De municípios distantes

Branco, preto, rico e pobre

Sábios e ignorantes

Plínio com sinceridade

Teve naquela cidade

Manifestações brilhantes.

 

Na cidade de Ilhéus

Foi muito bem recebido

Teve uma grande homenagem

Daquele povo instruído

Naquele lugar tranquilo

Todo mundo foi ouvi-lo

Sem distinção de partido.

 

Na Vila de Palestina

O Senhor Plínio Salgado

Chegou com a Comitiva

Aonde foi bem apoiado

Com grande satisfação

Saudou a multidão

Por que ele era esperado.

 

Foi ouvindo em seu louvor

Palmas, vivas e foguetões

Cercaram-lhe o automóvel

Todos com satisfações

Muitos com prazer de vê-lo

Outros para conhecê-lo

Pelas suas tradições.

 

Na praça do Jardim foi

A grande recepção

Da sacada de um sobrado

Ele olhava a multidão

Todo o pessoal versado

Para ouvir Plínio Salgado

Falar com exatidão.

 

Seus oradores notáveis

Falaram primeiramente

Depois o grande escritor

Do PRP presidente

Apresentou seu talento

Fazendo o encerramento

Com um discurso comovente!

 

Ele e toda Comitiva

Ficou [sic] bem perto de mim

Ouvi a sua palavra

De princípio até o fim

No tabernáculo sagrado

Pensei de Plínio Salgado não falar tão bem assim.

 

O povo de Palestina

O recebeu com conceito

Portanto ele nesta vila

Ficou muito satisfeito

Teve uma boa impressão

Porque viu na multidão

Ordem, silêncio e respeito.

 

Reuniu a Comitiva

Quando aproximou-se a hora

A todos de Palestina

Deu adeus e foi embora

Pensando em sua doutrina

Inda hoje em Palestina

Tem populista que chora.

 

Na cidade de Itabuna

Fez a última conferência

Todo dinheiro que ele

Recebeu da assistência

Para sempre ser feliz

Ofereceu à Matriz

Com fé e obediência.

 

No outro dia às seis horas

Foi embora honradamente

A todos seus companheiros

Deu um adeus comovente

Num avião Brasileiro

Foi para o Rio de Janeiro

Aonde ele é residente.

 

 

O Senhor Plínio Salgado

É um vulto inconfundível

A vida de Jesus Cristo

Ele descreveu no nível

Pregando o Cristianismo

Não adora o comunismo

Por ser ideia terrível.

 

No ano de trinta e dois

Este grande Brasileiro

Na Ação Integralista

Foi quem fichou-se primeiro

Sua ideia é Brasileira

Porém adota a Bandeira

Do Rei Dom João Terceiro.

 

Em qualquer parte do mundo

Que Plínio Salgado ora

Quem tem coração fraco

Suspira, soluça e chora

Não tem este nem aquele

Inda não gostando dele

Presta atenção e demora.

 

Plínio Salgado é um homem

De estatura mediana

Mas quando ocupa a tribuna

A multidão não engana

Não há quem o desaprove

Sua palavra comove

Toda criatura humana!

 

Ele na Europa tem

Milhões de admiradores

É no País Brasileiro

O maior dos escritores

Com o seu saber profundo

Plínio pode ser no mundo

Professor dos professores.

 

Plínio com sua doutrina

No Clero é muito bem quisto

Porque escreveu com luz

A vida de Jesus Cristo

Por ser um livro romano

O Papa no Vaticano

Com prazer passou o visto.

 

A Ação Integralista

É um símbolo de esperança

Quem ama a sua doutrina

Não guarda ódio e vingança

Aqui, ali e além

Plínio Salgado hoje tem

Simpatia e confiança.

 

O Senhor Plínio Salgado

Pregando o Cristianismo

Vem com Deus, Pátria e Família

Nos defender do abismo

Ele com seus companheiros

Quer livrar os Brasileiros

Dos laços do comunismo.

 

Eu adoto essa doutrina

Há mais de quatorze anos

Uma ocasião num Bar

Sofri insultos tiranos

Por ter elogiado

O Senhor Plínio Salgado

Perante alguns desumanos.

 

Plínio Salgado sofreu

Com o seu saber profundo

Pregando a sua doutrina

Para primeiro e segundo

Pelos falsos tribunais

Foi o homem que foi mais

Caluniado no mundo.

 

Aonde este homem fala

Todo mundo compreende

Sua ideia gloriosa

Nosso direito defende

Por ser contra ao comunista

A Ação Integralista

Não cai, não toma nem pende.

 

Plínio Salgado na Pátria

Hoje alegre nos desperta

Marchamos com fé em Deus,

Que nossa vitória é certa

Dentro da lei apostólica

Nossa bandeira simbólica

Está de louro coberta.

 

Brasileiros populistas

Leiam com gosto a vitória

Do PRP sacrossanto

Para servir de memória

Do Sul ao Norte ao Poente

O PRP felizmente foi coroado de glória.

 

Terminei, meus companheiros

Minha oração predileta

O Senhor Plínio Salgado

É doutrinário e profeta

Para toda humanidade

Se isto não for verdade

Deem perdão ao poeta”.

 


[1] Nova Fase – Ano 10, nº 71, Aparecida-SP, set/out de 2016, p. 11. 

 

 


12/11/2016, 14:18:40



A visita do grande escritor brasileiro Plínio Salgado ao Estado da Bahia | - Integralismo | Frente Integralista Brasileira ..