Precisamos de sua ajuda para manter nossas atividades.
Atualmente, além das inúmeras despesas fixas, são também centenas de metas, projetos e desafios a conquistar que dependem de sua colaboração direta. Escolha abaixo como pode nos ajudar:

Ação voluntária

Atue junto aos núcleos, participe de cursos, panfletagens, manifestações e divulgue a doutrina para outras pessoas.
Ação voluntária
OU

Contribuição financeira

Ajude a manter nossos projetos. Para colaborações financeiras, escolha aqui a opção mais adequada a você: boleto ou depósito.
Colabore



Segundo turno das Eleições 2018: Orientação da FIB

Há algumas semanas, às vésperas do primeiro turno das eleições gerais brasileiras deste ano de 2018, escrevemos um texto com algumas orientações aos nossos filiados e simpatizantes. Em tal texto, salientamos que um sério perigo ronda o nosso Brasil, a nossa Terra de Santa Cruz: o perigo do retorno ao poder da infame quadrilha que há décadas tem roubado Nação Brasileira e feito todo o possível para afastá-la das bases religiosas e morais de sua formação, cultivando o mais nefasto projeto de poder de que temos notícia na História Pátria.


Como assinalamos no aludido texto, essa escória rubra, completamente avessa à Tradição Nacional Brasileira, pretende implantar um regime socialista neste grande País do passado e do porvir, transformando este vasto Império numa gigantesca Cuba ou Venezuela.


Conforme igualmente sublinhamos no referido texto, tendo a consciência de que a volta da quadrilha vermelha autointitulada “Partido dos Trabalhadores” ao poder significaria o pleno amordaçamento do Brasil Profundo, Verdadeiro e Autêntico, do nosso amado Brasil Integral e Tradicional, nós, os autênticos tradicionalistas, patriotas e nacionalistas desta Terra de Santa Cruz, por Deus, pela Pátria, pela Família e por todos os lídimos princípios sintetizados em tal tríade, augusta e nobre como nenhuma outra, temos o dever de votar nos candidatos que se opõem a essa nefanda onda rubra que ameaça a Nação, tendo em mente, contudo, que tais candidatos estão, em sua maioria, longe de defender na sua integralidade os princípios da Doutrina Social da Igreja e da nossa Doutrina essencialmente cristã e brasileira nela inspirada.


Em outros termos, é nosso dever votar em candidatos que, embora não sejam, em sua esmagadora maioria, os exemplares cristãos, tradicionalistas, patriotas e nacionalistas que desejaríamos que fossem, ao menos defendem alguns princípios fundamentais da Lei Natural e da Ordem Natural, opondo-se, por conseguinte, à legalização do aborto e das drogas, à ideologia de gênero e a outras aberrações do mesmo naipe e a todo e qualquer desrespeito ao direito de propriedade e à livre iniciativa, assim como à luta de classes e à luta étnica que as chamadas “esquerdas” vêm há décadas tentando implantar no nosso Brasil.


Assim, renovamos o apelo que vos fizemos pouco antes do primeiro turno das eleições no sentido de que é vosso dever votar nos candidatos menos distantes dos valores que um dia fundamentaram a autêntica Civilização Cristã, rogando que, no próximo dia 28 de outubro, data em que a Igreja celebrará o dia de Cristo Rei, voteis nos candidatos que, ainda que não sejam os ideais, são inegavelmente os menos indignos, representando, pois, um mal menor. A propósito, ainda ontem relemos a carta de São Pio X aos católicos de Espanha,[1] escrita em Roma no dia 20 de fevereiro de 1906, em que o Sumo Pontífice afirmou que a ninguém é lícito ficar ocioso diante das ameaças à Religião e ao Bem Público e que, destarte, demos votar no candidato que mais garantias dê à Religião e ao Bem Comum, de sorte que, em circunstâncias como aquelas do Brasil da hora presente, faz-se mister que sufraguemos o candidato menos indigno.


Deste modo, embora discordemos de Jair Bolsonaro em inúmeras questões, nos opondo firmemente ao liberalismo de que ele se fez arauto, não podemos negar que ele representa um mal muitas vezes menor que aquele representado pelo Sr. Fernando Haddad, que, como é sabido, é abertamente marxista,[2] defende a ideologia de gênero e a transformação do Brasil em um País socialista e pertence ao autoproclamado “Partido dos Trabalhadores”, agremiação socialista que há anos tem defendido o aborto e outras pautas abomináveis, assim como mantido um funesto projeto de poder e praticado os mais nefandos crimes de corrupção que a nossa História registra.


Uma vez que lamentavelmente existem, nos meios tradicionalistas e nacionalistas pátrios,  inúmeros analfabetos funcionais e inúmeras pessoas extremamente mal intencionadas, cumpre ressaltar que nosso voto é, em verdade, um voto contra o PT e a “esquerda” cada vez mais degenerada moralmente que o apoia e a tudo o que esta representa, não sendo, pois, de forma alguma, um apoio às pautas liberais do candidato Jair Bolsonaro, pautas essas que combatemos e combateremos, do mesmo modo que defendemos e defenderemos todas as suas posições corretas e salutares ao Bem Geral da Nação. Daí fazermos nossas as seguintes palavras da página da ACCALE (Associação Cívica e Cultural Arcy Lopes Estrella) no Facebook: “não nos resta outra alternativa senão o voto contra Haddad e o PT”.[3]


Encerramos estas linhas frisando que Bolsonaro pode vir a representar não mais um mal menor e sim um bem, caso volte a sustentar os princípios sadiamente nacionalistas que outrora sustentou e deixe definitivamente de defender algumas posições anticristãs, antinaturais e antinacionais como o controle de natalidade, e transcrevendo parte do discurso que proferimos na Avenida Paulista no último dia 21 de outubro, por ocasião da grande manifestação contra o PT, que, segundo a Polícia Militar, reuniu não menos de três milhões de pessoas naquela tradicional via pública da cidade de São Paulo:



Brasil sim, PT não! Brasil sim, Lula não!


(...) No próximo dia 28, nossa escolha não será entre Bolsonaro e Haddad, mas sim entre o Brasil e o antiBrasil! No próximo dia 28, devemos dizer um sonoro e vibrante ‘não!’ ao partido que institucionalizou a corrupção e tem combatido com todas as suas forças para destruir as tradições cristãs da nossa Terra de Santa Cruz e nela implantar um modelo semelhante àquele da Venezuela de Chávez e Maduro! No próximo dia 28, é nosso dever votar no candidato que menos distante se encontra dos valores cristãos e brasileiros consubstanciados no lema ‘Deus, Pátria e Família’ e, por mais que discordemos de Bolsonaro em diversas questões, não temos dúvida alguma de que é ele o candidato que menos longe se encontra de tais valores.


Sejamos a onda verde e amarela que destruirá a onda vermelha lulopetista! A nossa bandeira é verde e amarela e nela jamais brilhará nenhuma estrela vermelha!


Deus abençoe a todos e Deus abençoe o nosso Brasil!


Por Deus, pela Pátria e pela Família![4]



 


Por Cristo e pela Nação!


 


Victor Emanuel Vilela Barbuy,


Presidente Nacional da Frente Integralista Brasileira,


São Paulo, 26 de outubro de 2018-LXXXVI.


 




Notas:


 [1] Carta Inter catholicus Hispaniae. Disponível em: https://w2.vatican.va/content/pius-x/la/letters/documents/hf_p-x_let_19060220_inter-catholicos.html. Acesso em 26 de outubro de 2018.


 [2] Vide seus livros O sistema soviético: Relato de uma polêmica (São Paulo, Scritta Editorial, 1992), Em defesa do socialismo (Petrópolis, Vozes, 1998), Desorganizando o consenso: Nove entrevistas com intelectuais à esquerda (Petrópolis, Vozes, 1998) e Sindicatos, cooperativas e socialismo (São Paulo, Fundação Perseu Abramo, 2003).


 [3] Bolsonaro vs Haddad. Disponível em: https://www.facebook.com/AccaleBrasil/photos/a.158539418086637/294787137795197/?type=3&theater. Acesso em 26 de outubro de 2018.


 [4] Tal discurso pode ser lido na íntegra em: http://www.integralismo.org.br/?cont=780&ox=199#.W9Nb1GhKjIU. Acesso em 26 de outubro de 2018.


 


26/10/2018, 16:57:12



Segundo turno das Eleições 2018: Orientação da FIB | - Integralismo | Frente Integralista Brasileira ..