Precisamos de sua ajuda para manter nossas atividades.
Atualmente, além das inúmeras despesas fixas, são também centenas de metas, projetos e desafios a conquistar que dependem de sua colaboração direta. Escolha abaixo como pode nos ajudar:

Ação voluntária

Atue junto aos núcleos, participe de cursos, panfletagens, manifestações e divulgue a doutrina para outras pessoas.
Ação voluntária
OU

Contribuição financeira

Ajude a manter nossos projetos. Para colaborações financeiras, escolha aqui a opção mais adequada a você: boleto ou depósito.
Colabore



Copa das Copas

A escolha do Brasil para sediar a Copa do Mundo foi recebida como prova do prestígio internacional de um “novo Brasil”. Nesse país diferente, que fora fundado recentemente com a posse de Lula, parecia surgir uma extraordinária oportunidade para comprovar ao mundo que seus líderes estavam preparados para assumir o merecido protagonismo entre as nações mais desenvolvidas. Tudo estava de ponta-cabeça na geopolítica global, pois, esse “novo Brasil” agora era a “bola da vez” ao passo que as nações mais ricas sucumbiam uma a uma em meio aos murmúrios da violenta crise financeira que afetaria o mundo pouco tempo depois.

Mas para o Brasil tudo seria diferente, uma vez que em 2014 os brasileiros testemunhariam uma revolução memorável, a iniciar-se nas gares do Rio de Janeiro, quando o primeiro trem de alta velocidade (TAV) partisse rumo a São Paulo para a abertura do mundial – tal trajeto seria concluído em impressionantes uma hora e trinta minutos [1]. O mesmo se repetiria nas demais cidades-sede: em Cuiabá, um moderno sistema de veículo leve sobre trilhos (VLT), interligaria quase toda a cidade, facilitando o acesso de turistas e moradores aos pontos de maior interesse [2]; em Porto Alegre, a nova linha 2 do Metrô, apelidada apropriadamente como a “Linha da Copa”, diminuiria o trânsito na região mais densa da capital gaúcha [3]; e, o melhor de tudo, as modernas e gigantescas “Arenas” seriam custeadas pela iniciativa privada em todas as cidades-sede [4].

Infelizmente, essa “aquarela” da infraestrutura, cujo catalisador seria um torneio de futebol, não poderia ter sido menos ilusória. Foi mais dura a realidade de um País em trapos governado por uma elite de corruptos megalomaníacos...


Ficava também muito evidente a relação do governo brasileiro com a empresa multinacional FIFA e o preço pago por políticos megalomaníacos para trazer o evento ao Brasil. (Reuters)

Mas parecia ser o “plano perfeito”. O “novo Brasil” foi criado em 2002, suplantando séculos de opressão e reparando as mazelas deixadas pelos antigos governantes, que colonizaram o Brasil até o mandato anterior. Suas políticas ditas “progressistas”, “modernizariam” o “atrasado” Brasil, facilitando a inclusão das “minorias” nos instrumentos de educação e da administração do Estado, por exemplo [5]. Este novo país tinha como marca “a marcha histórica que resgata nosso País de seu passado escravista, subalterno, elitista e excludente” [6].

O “novo Brasil” tinha a ajuda de marqueteiros consagrados, peritos em iludir as massas com miragens estonteantes [7]. Do dia para a noite a seca em parte do nordeste acabou, milhões de brasileiros automaticamente cruzaram a linha da pobreza e o Brasil passou a ser a sexta economia do mundo. O governo tinha ampla base de apoio político e popular, a primeira conquistada no que viria a ser conhecido como “Ação Penal 470” (ou "julgamento do mensalão") [8] e a segunda por meio de “confiáveis” institutos de pesquisa, como Ibope e DataFolha.

Não bastava o País estar frequentemente em matérias compradas na The Economist [9], na Time [10] ou no The New York Times [11]. Por que não colocar a cereja no bolo? A consagração deste “novo País” – repetimos, inventado em 2002 – se daria com o governante da Nação aplaudido pela multidão sem fôlego após discurso que, tal como ocorreu nos Jogos Olímpicos de Pequim, minuciosamente arquitetado pelo Partido Comunista Chinês [13], em 2008, elevaria este novo país de bandeiras vermelhas à sua condição de potência entre os grandes jogadores globais.


No "plano perfeito", o novo Brasil das bandeiras vermelhas repetiria sucesso similar aos Jogos Olímpicos de Pequim, realizados em 2008, pelo Partido Comunista Chinês, com o objetivo de propagandear o regime. (Reprodução/Internet)

Algo saiu errado...

O descontentamento com o absurdo custo da construção dos estádios em contraste com a situação desastrosa dos serviços públicos essenciais levou a um desânimo geral e à falta de apoio popular à realização da Copa do Mundo [13]. Tanto que, o bordão “quero ver na Copa” não foi invenção de uma suposta oposição às vésperas das eleições, mas sinal do descrédito espontâneo da população às promessas fantasiosas do governo, como a suposta construção de um “trem-bala”, anunciado inúmeras vezes pela então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Vana Rousseff [14].

Com a Copa do Mundo às portas, essa insatisfação foi tomando fôlego, uma vez que a cada dia mais próximo do evento, mais facilmente constatava-se que promessas não seriam cumpridas e que a qualidade geral dos serviços públicos não tendia a melhorar: o Brasil regrediu ou estagnou em quase todos os índices internacionais que medem a qualidade dos serviços de saúde,  educação, infraestrutura, dentre outros, sendo superado por países como Colômbia e Tailândia em alguns desses indicadores [15].

Ficava também muito evidente a relação do governo brasileiro com a empresa multinacional FIFA e o preço pago por políticos megalomaníacos para trazer o evento ao Brasil. De um lado os cofres públicos custeariam a construção de doze novos estádios, que tiveram, até o momento, um custo estimado em R$ 8,5 bilhões, sendo que algumas dessas arenas não terão qualquer utilidade após a Copa [16]. De outro lado, além de rasgar a Constituição Brasileira ao impor a Lei Geral da Copa, calcula-se que a FIFA vai lucrar aproximadamente R$ 9 bilhões com o evento, sendo beneficiária de inúmeras isenções fiscais e tendo suas autoridades e instalações proteção custeada pelo Estado [17].

Ora, se apenas a FIFA pode licenciar produtos relacionados à Copa do Mundo, mas a mesma FIFA e seus parceiros (tais como Hyundai e Coca-Cola por exemplo), não darão aos cofres públicos qualquer retorno, pois estão isentas de pagar impostos [18], a quem interessa a realização da Copa do Mundo no Brasil? Arrisco dizer que interessa certamente a uma certa quadrilha de políticos megalomaníacos e a meia dúzia de megaempresários que sustentam estes mesmos políticos no poder...

O ápice do descontentamento popular deu-se há um ano nas manifestações de junho, quando “os protestos evoluíram do oportunismo, das utopias irracionais marxistas e das infantis reclamações por passes livres para a adesão em massa de milhões de pessoas indignadas com o governo em todo o Brasil” [19]. Este fato, em especial, deu um baque na elite política e financeira nacional, ainda iludida com as falácias que ela mesmo criou: o novo Brasil, artificial, sem pobreza e centrado em personalidades como o “megaempresário” Eike Batista.

Acreditam nas próprias fraudes...


As obras inacabadas do VLT de Cuiabá, que não chegaram a 50% de conclusão, estão sendo cobertas por grama melhorar o aspecto visual da cidade. (Aiuri Rebello/UOL)


Em Brasília, às vésperas da Copa, operários trabalhavam para cobrir viadutos imundos com mármore branco, sob o mesmo pretexto. (Fernando Rodrigues/UOL)

Saindo da esfera da propaganda e do ufanismo governamental, verificamos que as cidades brasileiras hoje são canteiros de lama repletos de obras inacabadas, pois a maior parte da infraestrutura prometida por governantes oportunistas não foi entregue [20]. Só para ilustrar, não há TAV ligando Rio de Janeiro a São Paulo [21], o VLT em Cuiabá não estará pronto antes de 2015 [22], a “Linha da Copa”, de Porto Alegre, talvez só esteja pronta em 2019 e os estádios foram todos custeados com dinheiro público [23][24]. Isso para não falar da lentidão nas obras em aeroportos que não comportam mais a demanda de passageiros [25], em sistemas de transporte de alta capacidade cujas obras não foram concluídas, mas inauguradas pela presidente [26] e nos milhares de operários que até o fim da Copa correm contra o tempo para enfeitar viadutos caindo aos pedaços e jardins mal cuidados [27], comuns ao cotidiano do brasileiro, mas inadmissíveis se estiverem aos olhos dos estrangeiros.

A verdade é que a realização da Copa só beneficiou as empreiteiras que construíram os estádios e a própria FIFA, que levará do Brasil bilhões de reais livres de impostos!

A esta altura, apoiemos ou não, a Copa começou. Certamente será uma imponente realização do ponto de vista midiático e da pirotecnia a ser empregada nas cidades-sede, elementos indispensáveis à sustentação das modernas técnicas da política de pão e circo. E, para alíviar a tensão do governo e das multinacionais que investiram no evento, a massa, que é a parcela inconsciente da população, é suscetível de transformar tudo em um grande carnaval, impedindo um desfecho político mais desfavorável ao governo brasileiro.

Mas, ao passo que diminui a parcela daqueles que são massa, aumenta consideravelmente a parcela daqueles que podem ser considerados povo, isto é, a parcela consciente da população. Estes estão menos preocupados com o circo e mais interessados nas reais prioridades do País, não aceitando mais de forma passiva a atitudes desprezíveis de um governo que trabalha dia e noite para destruir o Brasil verdadeiro, forjado a fogo e ferro em mais de quinhentos anos de tradição e bravura.

O que fica claro afinal é que o governo não é o povo e vice-versa. E no nosso caso, em especial, o governo nunca esteve tão dissociado do povo. Os olhos do mundo se voltam para o Brasil. O grande legado da Copa não é material. É político.

Sentinela Alerta!


Eduardo Ferraz
Membro do Conselho Diretivo Nacional e Secretário de Expansão da Frente Integralista Brasileira.


N
otas:
[1] Trem-bala entre Rio e São Paulo ficará pronto para Copa de 2014, diz Dilma. G1, 03 de junho de 2009.  Disponível em: http://g1.globo.com/Noticias/Economia_Negocios/0,,MUL1181261-9356,00-TREMBALA+ENTRE+RIO+E+SAO+PAULO+FICARA+PRONTO+PARA+COPA+DE+DIZ+DILMA.html Acesso em: 10 de junho 2014.
[2] Não trabalhamos com a hipótese de não entregar o VLT até a Copa. Portal 2014, 01 de novembro de 2012. Disponível em:  www.portal2014.org.br/noticias/10988/NAO+TRABALHAMOS+COM+A+HIPOTESE+DE+NAO+ENTREGAR+O+VLT+ATE+A+COPA.html. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[3] Porto Alegre confirma metrô para Copa. Portal 2014, 28 de agosto de 2009. Disponível em:  www.portal2014.org.br/noticias/982/PORTO+ALEGRE+CONFIRMA+METRO+PARA+COPA.html. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[4] Ministro descarta dinheiro público para estádios da Copa-2014. Terra, 04 de dezembro de 2007. Disponível em:  http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI2124945-EI306,00-Ministro+descarta+dinheiro+publico+para+estadios+da+Copa.html. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[5] Para ler algo mais consistente a respeito do tal progressismo engendrado pelo governo, basta ler o hediondo “Programa Nacional de Direitos Humanos 3”. Disponível em: http://portal.mj.gov.br/sedh/pndh3/pndh3.pdf. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[6] Trecho transcrito da apresentação do “Programa Nacional de Direitos Humanos 3”, disponível em página especial da presidência da república dedicada ao tema. Disponível em: http://portal.mj.gov.br/sedh/pndh3/index.html. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[7] João Santana, o homem que elegeu seis presidentes. Época, 04 de outubro de 2013. Disponível em: http://epoca.globo.com/tempo/noticia/2013/10/bjoao-santanab-o-homem-que-elegeu-seis-presidentes.html. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[8] Página especial do portal UOL sobre a “Ação Penal 470”, mais conhecido como “julgamento do mensalão”. Disponível em: http://noticias.uol.com.br/politica/eventos/julgamento-do-mensalao/. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[9] Brazil takes off. The Economist, 12 de novembro de 2009. Disponível em: http://www.economist.com/node/14845197. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[10] Revista 'Time' escolhe Lula como um dos líderes mais influentes do mundo. G1, 29 de abril de 2010. Disponível em: http://g1.globo.com/politica/noticia/2010/04/revista-time-escolhe-lula-como-o-lider-mais-influente-do-mundo.html. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[11] Strong Economy Propels Brazil to World Stage. The New York Times, 31 de julho de 2008. Disponível em:   http://www.nytimes.com/2008/07/31/world/americas/31brazil.html?pagewanted=all. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[12] Como o Ocidente falhou com a China nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008. Epoch Times, 2008. Disponível em:  http://www.epochtimes.com.br/como-ocidente-falhou-china-nos-jogos-olimpicos-pequim-2008/#.U5nUtCjijOM. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[13] Apoio à realização da Copa no Brasil cai para 52%, aponta pesquisa do Datafolha. Jogos Limpos, 24 de fevereiro de 2014. Disponível em: http://www.jogoslimpos.org.br/destaques/apoio-a-realizacao-da-copa-brasil-cai-para-52-aponta-pesquisa-datafolha/. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[14] ‘Sucesso do trem-bala’ se deve a Dilma, diz Lula em cerimônia. G1, 13 de julho de 2010. Disponível em: http://g1.globo.com/politica/noticia/2010/07/sucesso-do-trem-bala-se-deve-dilma-diz-lula-em-cerimonia.html. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[15]  Brasil se distancia de média mundial em ranking de educação. BBC, 08 de maio de 2014. Disponível em: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2014/05/140508_brasil_educacao_ranking_dg.shtml. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[16] Estádios da Copa já somam 20 atrasos, e gastos de R$ 8 bilhões podem aumentar. IG, 13 de fevereiro de 2014. Disponível em: http://copadomundo.ig.com.br/2014-02-13/estadios-da-copa-ja-somam-20-atrasos-e-gastos-de-r-8-bilhoes-podem-aumentar.html. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[17] Isenta de pagar R$ 1 bilhão em impostos, Fifa garante lucro recorde na Copa de 2014. R7, 25 de junho de 2013. Disponível em: http://esportes.r7.com/futebol/copa-das-confederacoes-2013/isenta-de-pagar-r-1-bilhao-em-impostos-fifa-garante-lucro-recorde-na-copa-de-2014-25062013. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[18] Ministério Público diz que isenção fiscal à Fifa é inconstitucional. UOL, 20 de agosto de 2013. Disponível em: http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2013/08/20/ministerio-publico-diz-que-isencao-fiscal-a-fifa-e-inconstitucional.htm. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[19] FERRAZ, Eduardo. Resposta a uma crise. Frente Integralista Brasileira, 23 de junho de 2013. Disponível em: http://www.integralismo.org.br/?cont=781&ox=231. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[20] Agora é de verdade. Revista francesa detona a Copa no Brasil. UOL, 07 de março de 2014. Disponível em: http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2014/03/07/revista-francesa-detona-a-copa-no-brasil-viva-o-bordel-brasileiro.htm. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[21] Previsto para a Copa de 2014, trem-bala será concluído apenas em 2020. Estadão, 26 de março de 2014. Disponível em: http://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,previsto-para-a-copa-de-2014-trem-bala-sera-concluido-apenas-em-2020,1145413. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[22] População de Cuiabá só vai usar VLT a partir de 2015, diz secretário da Copa. G1, 04 de março de 2014. Disponível em: http://g1.globo.com/mato-grosso/noticia/2014/03/populacao-de-cuiaba-so-vai-usar-vlt-partir-de-2015-diz-secretario-da-copa.html. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[23] Consórcios apresentam propostas para construção do metrô de Porto Alegre. Zero Hora, 22 de abril de 2014. Disponível em:  http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2014/04/consorcios-apresentam-propostas-para-construcao-do-metro-de-porto-alegre-4481252.html. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[24] Gastos públicos com os estádios da Copa já passam de R$ 8,5 bilhões. LANCENET, 19 de junho de 2013. Disponível em: http://www.lancenet.com.br/copa-do-mundo/estadios-Copa-governo-populacao-brasileira_0_940705956.html. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[25] Nenhum aeroporto da Infraero ficará 100% pronto para a Copa. Folha de S. Paulo, 14 de maio de 2014. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/05/1454211-nenhum-aeroporto-da-infraero-ficara-100-pronto-para-a-copa.shtml. Acesso em: 10 de junho de 2014.
[26] Dilma inaugura metrô inacabado em Salvador. Folha de S. Paulo, 11 de junho de 2014. Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/06/1468175-dilma-inaugura-metro-inacabado-em-salvador.shtml. Acesso em: 11 de junho de 2014.
[27] Prefeituras e Estados apelam ao improviso para esconder e maquiar atraso em obras. Folha de S. Paulo, 24 de maio de 2014. Disponível em:  http://www1.folha.uol.com.br/poder/2014/05/1459409-prefeituras-e-estados-apelam-ao-improviso-para-esconder-e-maquiar-atraso-em-obras.shtml. Acesso em: 11 de junho de 2014.


12/06/2014, 15:00:01



Copa das Copas | - Integralismo | Frente Integralista Brasileira ..